Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

iTUGGA

Blog de um português...

iTUGGA

Blog de um português...

Millenials...

Millennials-1280x620-1240x620.jpg(imagem: retirada da net)

 

Acreditam acima de tudo no seu sucesso profissional, acham que são cidadãos de excelência. São a favor do aborto e da eutanásia. Compram online, mas são forretas - apesar de gastarem bastante em tecnologia. Não querem comprar casa, mas querem sair da casa dos pais o mais cedo possível. Este é o retrato geral, mas são estes Millenials, que olham mais rapidamente para o smartphone que temos, do que para o rabo de uma senhora "jeitosa" que se debruça à sua frente, para apanhar as chaves que deixou cair!!! E não creio que seja por educação. Qualquer dia teremos sexo em RV....

Influencers!??

6_philiplueck_google_medicine_social-1.png

 

Por estes dias ouvi um teenager dizer que gostava de ter como profissão "influencer"!!? Parece que é profissão!? Temos a noção que o Facebook e o YouTube tornaram-se armas de comunicação maciça e de ação comercial. As redes sociais tornaram-se promotoras de celebridade de ocasião e, através de influencers, desenvolveram a indústria com o números de gostos e comportamentos.

 

Hoje há quem, aproveitando a vaga de frivolidade e superficialidade, fique rico a publicar numa rede de moda fotografias tiradas com o smartphone. As redes sociais deram dimensão global a essa possibilidade. Basta ter milhares de seguidores nas redes sociais ou ser youtuber com visualizações e já se é "influencer". Não me lixem! Os melhores "influencers" que eu tive, foram o chinelo da minha mãe e o olhar gélido do meu pai. Eles sim, é que foram os meus "influencers"...

Discurso de Natal do Primeiro-Ministro

Não é a primeira vez que numa mensagem de Natal António Costa elege um único tema para comunicar com os portugueses. O mesmo já acontecera em 2016, quando escolheu a Educação. Esta intervenção de Natal monotemática é mais do mesmo.

Falando a sério, onde está a mensagem de Natal? Tudo espremido o que é que sai daquele momento de propaganda mal-amanhada? Somos todos burros senhor Primeiro-Ministro?

Black Friday

black friday.jpg

 

Pessoalmente, detesto fazer compras, mas na Black Friday's e afins ainda detesto mais do que o habitual, principalmente porque acabamos por comprar o que não queriámos e necessitamos, por supostamente estar mais barato. Por outro lado, a não ser que tenhamos realizado uma monografia do preço do que queremos de facto comprar, acabamos por comprar o que queremos a metado do dobro do preço normal...

Joacine Moreia - não me sigam que ando perdida

Joacine Katar-Moreira reagiu à preocupação manifestada pelo partido que representa - será que ela sabe qual é o seu partido? - na sequência da abstenção no voto sobre a Palestina. De acordo com a deputada, tudo se deveu a uma "dificuldade de comunicação" com a direção do próprio partido, da qual é parte integrante. Será por ser gaga? Ou porque não percebe nada do que anda a fazer? Como não chegasse a palhaçada, Joacine afirmou na Assembleia do partido que ganhou as eleições sozinha!!! Em política nada se consegue sozinho. Foi ela que pagou a campanha? Foi ela que colou os cartazes? Foi ela que recolheu as assinaturas? Acho que Joacine para além de gaga é também gágá...

 

Ou seja, um mês depois das eleições, o Livre já está em guerra civil, os Liberais dedicam-se a tretas simbólicas e cartazes, e apenas o Chega tem tido uma actuação com sucesso - apesar de demagógica - porque as pessoas votaram na palhaçada. Mas sim, o problema era "serem sempre os mesmos". Agora, nesta época natalícia montaram o circo na Assembleia... 

O salário da vergonha - Mínimo, mínimo...

Os debates sobre o salário mínimo são sempre um momento de esperança para uma melhoria de vida para mais de cerca de 750 mil cidadãos que trabalham 40 horas por semana para receberem 600 euros, mais o subsídio de refeição todos os meses. Não esquecer que há muitos a ganhar entre 600 e 650, desconhecendo-se a percentagem. Basicamente somos uma comunidade em que um quinto das pessoas que trabalham não conseguem viver condignamente através da sua atividade profissional, tendo muitos ainda a seu cargo filhos em idade escolar. Uma comunidade assim está doente, e não há doutrina política que lhe dê a volta, pois o império da economia está  sobre a política sendo o lucro o expoente máximo de toda a sociedade. O desequilíbrio entre o poder das empresas e o dos trabalhadores é a condição natural desde sempre, mas estamos a regredir. Num país onde pessoas com emprego têm de viver numa tenda na rua, por não ganharem o suficiente para um tecto condigno, algo está mal, muito mal...

 

635 euros de salário mínimo, não é assim um aumento tão grande para a maioria das empresas, mas pode mudar muita coisa, na vida de muita gente. Ou não. A SONAE já está a aumentar os preços devido ao aumento do salário  mínimo, será que este aumento é real???

Portugal "era" o país mais pobre da Europa

EJS3ZslWsAIzBuV.jpg

(Arquivo pessoal - M. Novais)

Fotografia de 1950 onde mulheres e crianças foram encerradas numa cela de prisão na Chamusca, acusados do “crime” de recolherem lenha em propriedade privada, descalças e a chover para aquecerem os filhos e cozinharem. Portugal era o país mais pobre da Europa. Em alguns, pontos não estamos muito melhor...

Sobre o bébé encontrado no lixo - mais importante que punir é salvar

tenda sem abrigo.jpg

Por estes dias escrevi sobre os sem abrigo que povoam a cidade de Lisboa e a sua miséria económica e social. Nunca me passou pela cabeça que por estes dias uma sem abrigo de nome Sara com 22 anos bate-se tão fundo na miséria moral, ao ponto de deixar o filho recém-nascido num caixote do lixo. Já foi indiciada por homicídio qualificado na forma tentada, ficando a aguardar o desenrolar do processo em prisão preventiva e pagará pelo seu crime. O seu crime é hediondo, mas muito antes de a punir, deveríamos tê-la salvo. Sara que vivia num cenário de pobreza e miséria habitava numa das tendas que estão montadas junto ao Terminal de Santa Apolónia, bem perto do local onde o bebé foi encontrado por um sem abrigo, supostamente seu conhecido das ruas. Não tem antecedentes criminais e agiu sozinha.

Como é possível, que alguém que vivia numa tenda no meio da rua, nunca tenha pedido ajuda a alguém pela sua situação!? No outro lado da moeda ( nós a sociedade no geral ): como foi possível as autoridades que acompanham os sem abrigo - polícia, IPSS, voluntários, etc - não tenham sinalizado que estava grávida!??  O que esta mãe terá sofrido para manter esta maternidade invisível e sofrida!!?  Este bebé não nasceu, foi parido e graças à sorte, muito bem parido, pois nasceu saudável e cheio de vontade de viver. A seguir, a mãe coloca-o no lixo. A mãe cometeu esse erro que vai pagar caro, mas o que a levou a cometer esse erro? Se a sociedade no geral a tivesse ajudado, provavelmente não teria cometido tal erro. Erro que estamos todos prontos para julgar, esquecendo que o erro maior foi nosso, quando deixámos que tal acontece-se em pleno século XXI. Antes de a punir deveríamos tê-la ajudado...

 

"Bem-vindo Puto" - e agora?

O recém-nascido que foi retirado de um caixote do lixo por dois - sim, foram dois sem abrigo -  e que foi transportado para o Hospital D. Estefânia está bem de saúde. Mas, e agora? Sem se saber quem fez tal maldade a um recém nascido e sem saber se tem família, o que poderá acontecer? O hospital poderá ficar com a criança até o Estado encontrar um lugar onde o acomodar, mas não cabe ao hospital ficar com a tutela do recém nascido. Cabe agora ao sistema judicial tomar uma decisão, depois de sinalizado pelos serviços sociais.  Como não se conhecesse familiares deve ser acolhido num lar da Segurança Social e consequentemente  adoptado por alguém que lhe dará o amor que lhe faltou à nascença.

 

Mas há um senão. Segundo os especialistas poderá demorar um ano até o bébé chegar a uma família... burocracias e análise de casais que possam criâ-lo como um filho são as causas. Um ano?? Tanto tempo!?? Por outro lado, pergunto-me, se a mãe aparecer ou algum familiar, como ficará o processo de adopção???