Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

iTUGGA

Blog de um português...

iTUGGA

Blog de um português...

Millenials...

Millennials-1280x620-1240x620.jpg(imagem: retirada da net)

 

Acreditam acima de tudo no seu sucesso profissional, acham que são cidadãos de excelência. São a favor do aborto e da eutanásia. Compram online, mas são forretas - apesar de gastarem bastante em tecnologia. Não querem comprar casa, mas querem sair da casa dos pais o mais cedo possível. Este é o retrato geral, mas são estes Millenials, que olham mais rapidamente para o smartphone que temos, do que para o rabo de uma senhora "jeitosa" que se debruça à sua frente, para apanhar as chaves que deixou cair!!! E não creio que seja por educação. Qualquer dia teremos sexo em RV....

Influencers!??

6_philiplueck_google_medicine_social-1.png

 

Por estes dias ouvi um teenager dizer que gostava de ter como profissão "influencer"!!? Parece que é profissão!? Temos a noção que o Facebook e o YouTube tornaram-se armas de comunicação maciça e de ação comercial. As redes sociais tornaram-se promotoras de celebridade de ocasião e, através de influencers, desenvolveram a indústria com o números de gostos e comportamentos.

 

Hoje há quem, aproveitando a vaga de frivolidade e superficialidade, fique rico a publicar numa rede de moda fotografias tiradas com o smartphone. As redes sociais deram dimensão global a essa possibilidade. Basta ter milhares de seguidores nas redes sociais ou ser youtuber com visualizações e já se é "influencer". Não me lixem! Os melhores "influencers" que eu tive, foram o chinelo da minha mãe e o olhar gélido do meu pai. Eles sim, é que foram os meus "influencers"...

A loucura de Trump

EJ71XTLXsAEUiqk.jpg(imagem: humor político)

Nos idos anos noventa do século passado, os EUA atacaram sem dó nem piedade o Iraque, alegando para tal acto as armas nucleares que supostamente o governo de Saddam Hussein escondia. O Iraque não tinha o tal armamento nuclear e os norte americanos fizeram o que quiseram. Com o Irão a situação é completamente diferente, o Irão tem armamento nuclear e está pronto a usâ-lo. 

 

Quando Donald Trump manda assassinar o general iraniano Qassem Soleimani - numa manobra pessoal de reeleição - está a convidar o Irão para uma guerra, que levará o Mundo a uma vida de terror. Por outras palavras, Trump, está cínicamente a pensar em si e na industria de guerra norte americana e "renascer" depois do "impeachment" como um Deus salvador da pátria e do mundo ocidental. Ali Khameinei promete vingança. Trump ameaça o Irão com a destruição de 52 locais caso o Irão responda ao ataque. Estão abertas as hostes para uma guerra sem quartel, com exércitos vestidos de civis, armas que podem matar milhares e seja qual for o resultado, apenas terá um perdedor: o Mundo. Aguardam-se cenas dos próximos capítulos...

31 de dezembro, o dia das mentiras

O início de um novo ano é, com certeza, um momento importante para fazer reflexões sobre como foi o ano anterior, ponderar sobre o que mudar e onde melhorar no ano que está a começar. O último dia do ano é aquele em que afirmamos convictamente a maior mentira que dissemos a nós próprios: "Ano novo, vida nova", mas… problemas antigos! 

 

Iremos deixar de fumar, mas o próximo cigarro é que é o último. Vamos fazer dieta, mas as bolas de berlim é que nos chamam. Queremos acabar com os créditos, mas está a sair o novo smartphone com três câmaras, oito cores e aplicações que dão para limpar o anus. Prometemos passar mais tempo com a família, mas há sempre a aquele jogo de futebol, aquele jantar de colegas de trabalho. Hoje, é o dia que esquecemos as desculpas que demos ao longo do ano, as mesmas que vamos repetir para o ano. Feliz Ano Novo... mesmo com as mentiras antigas.

Discurso de Natal do Primeiro-Ministro

Não é a primeira vez que numa mensagem de Natal António Costa elege um único tema para comunicar com os portugueses. O mesmo já acontecera em 2016, quando escolheu a Educação. Esta intervenção de Natal monotemática é mais do mesmo.

Falando a sério, onde está a mensagem de Natal? Tudo espremido o que é que sai daquele momento de propaganda mal-amanhada? Somos todos burros senhor Primeiro-Ministro?

André Ventura que acusa o estado de despesismo é o mais despesista

Andre-ventura2.jpg

 

Sugeriu uma publicação no Facebook que menciona que o deputado André Ventura nomeou seis funcionários para o gabinete de apoio na Assembleia da República, o que gerou algum frisom nas redes sociais, pois é um número superir ao dos outros partidos com o mesmo número de deputados. Qual dos três partidos com deputados únicos na Assembleia da República é que nomeou mais funcionários para o respetivo gabinete de apoio parlamentar? 

 

No que respeita a João Cotrim de Figueiredo, deputado único e candidato à liderança do partido Iniciativa Liberal, o Despacho (extrato) Nº 11128/2019, publicado em "Diário da República"no dia 28 de novembro de 2019, indica que foram nomeados quatro funcionários.Quanto a deputada do Livre, Joacine Katar Moreira, o Despacho (extrato) n.º 11127/2019 e também o Despacho (extrato) n.º 11131/2019, publicados em "Diário da República" no dia 28 de novembro de 2019, indicam que foram nomeados quatro funcionários. Entretanto o partido Chega tem seis nomeações formalizadas no âmbito do Despacho (extrato) Nº 11133/2019, publicado em "Diário da República" no dia 28 de novembro de 2019.

A próxima vez que André Ventura vier falar de despesismo do erário público, façam o favor de o mandar calar...

 

 

Livre, aprisionado?

Ainda sou do tempo em que não havia redes sociais e os meios de comunicação social não precisavam de notícias para alimentar os leitores/ouvintes/telespectadores ao minuto. Assim sendo, é possível que esta palhaçada que se passa no partido Livre não tivesse qualquer relevância nos media. Mas os tempos são outros e os partidos também.

 

Os nossos partidos tradicionais têm muitos defeitos, fazem muitas asneiras, estão cheios de caciqueiros e de pessoas que desconhecem o verdadeiro significado da política, mas no geral têm prestado um bom serviço a Portugal, apesar dos muitos lobbys instalados. Pelo que se vê, os novos partidos não. Os desentendimentos entre a deputada e a direção do Livre começaram pouco depois das eleições legislativas. E este parece ser o único ponto consensual entre as duas partes. Porque em tudo o resto, estão em desacordo. Aliás, já se adivinhava algo do tipo, senão vejamos: a primeira negra cabeça de lista eleita ostentando o seu ativismo antirracista e uma deficiência de fala. Quando se mostrou ao eleitorada já denotava a sua arte com frases do tipo "foi preciso eu aparecer para os outros partidos se lembrarem de pôr negras em lugar elegível". Sempre num tom raivoso, depois a sua abstenção no voto sobre os colonatos na Palestina que belo toque de anarquia. Depois acusou a seguir a direção de "golpe" e de a querer "descartar", sem no entanto explicar por que motivo e como. Que bela autocrata. Este ano o circo de Natal instalou-se em são Bento.

 

 

 

Black Friday

black friday.jpg

 

Pessoalmente, detesto fazer compras, mas na Black Friday's e afins ainda detesto mais do que o habitual, principalmente porque acabamos por comprar o que não queriámos e necessitamos, por supostamente estar mais barato. Por outro lado, a não ser que tenhamos realizado uma monografia do preço do que queremos de facto comprar, acabamos por comprar o que queremos a metado do dobro do preço normal...

Joacine Moreia - não me sigam que ando perdida

Joacine Katar-Moreira reagiu à preocupação manifestada pelo partido que representa - será que ela sabe qual é o seu partido? - na sequência da abstenção no voto sobre a Palestina. De acordo com a deputada, tudo se deveu a uma "dificuldade de comunicação" com a direção do próprio partido, da qual é parte integrante. Será por ser gaga? Ou porque não percebe nada do que anda a fazer? Como não chegasse a palhaçada, Joacine afirmou na Assembleia do partido que ganhou as eleições sozinha!!! Em política nada se consegue sozinho. Foi ela que pagou a campanha? Foi ela que colou os cartazes? Foi ela que recolheu as assinaturas? Acho que Joacine para além de gaga é também gágá...

 

Ou seja, um mês depois das eleições, o Livre já está em guerra civil, os Liberais dedicam-se a tretas simbólicas e cartazes, e apenas o Chega tem tido uma actuação com sucesso - apesar de demagógica - porque as pessoas votaram na palhaçada. Mas sim, o problema era "serem sempre os mesmos". Agora, nesta época natalícia montaram o circo na Assembleia... 

National Geographic realizou documentário que explica incêndios de Pedrógrão Grande

5dd1a526c9a05.jpg

 

National Geographic estreou ontem, 20 de novembro pelas 22h, a série documental “Witness to Disaster” – em português, “Testemunhos do desastre” – , sendo o primeiro episódio é dedicado à “história do maior incêndio na história de Portugal e de como este devastou uma comunidade rural” no verão de 2017: Pedrógão Grande.

Para a produção deste episódio, a produtora do Reino Unido teve acesso a imagens captadas pela plataforma CentroTV, durante os incêndios que assolaram a região, em junho de 2017, recorreu ainda a imagens de video-amadores e de videovigilância. “Witness to Disaster” conta também com “um conjunto de entrevistas a testemunhas”. O objetivo da produção é revelar cientificamente “como tudo aconteceu, e como decisões tomadas numa fração de segundo fizeram a diferença entre a vida e a morte”. Morreram 66 pessoas nesse incêndio, além de 254 terem ficado feridas.

 

Ressalva, fiquei chocado com o que os especialistas referem em relação aos eucaliptos: é verdade que são a principal causa de dissiminação do fogo, devido as suas cascas voarem durante os incêncios, iniciando outros fogos. Mas têm uma enorme falha, seguem o senso comum de que os eucaliptos são a principal causa de combustão dos incêndios. Curiosamente, quem estava na zona durante os incêndios - eu estava e combati os fogos - onde se iniciou o primeiro fogo é uma zona de pinhal e pode-se observar dias após os fogos que as areas ardidas eram maioritariamente de pinheiros, o que é natural, pois devido à resina ardem com mais facilidade do que os eucaliptos. Observando-se também que as zonas de eucaliptos que estavam sem "mato" não arderam, ao contrário das zonas de pinhal que mesmo limpas arderam por completo. Não culpem os eucaliptos por tudo...